Celeron

Conheça - Celeron

FABRICAÇÃO:

O Celeron é um laminado industrial, duro e denso, fabricado através de aplicação de calor e pressão em camadas de tecidos de algodão impregnadas com resinas fenólicas. Quando o calor e a pressão são aplicados simultaneamente às camadas, uma reação química ocorre, aglomerando-as em uma massa sólida e compacta.

O Celeron é diferenciado de acordo com a malha do tecido usado, variando em grosso, médio, fino e extra fino. As chapas em malha grossa são largamente utilizadas no mercado industrial. Entretanto, a especificação da malha dependerá do desenho e configuração da peça a ser produzida. Quanto mais fina for a malha, melhor será o acabamento da peça.

APLICAÇÃO:

Anéis, buchas, calços, casquilhos, engrenagens, espaçadores, guias, isoladores, mancais, palhetas, pinhões, raspadores, etc.

DISPONÍVEL:

Chapas, tarugos, tubos e peças técnicas (sob consulta). Malhas disponíveis: grossa, média, fina e extra fina.

PROPRIEDADES:

Mecânicas:

Laminados baseados em tecidos são selecionados para resistir a choque de cargas elevadas e ao desgaste, são mais macios que os laminados fabricados com papéis; a malha do tecido utilizado na confecção do celeron influi, interfere na precisão da usinagem e estampagem, bem como na acabamento das peças (tecido mais fino representa maior precisão e melhor acabamento).

Químicas:

Laminados fenólicos geralmente não são atacados pelos solventes comuns como álcool, éter e derivados do refino de petróleo, resistem à baixa concentração de ácidos inorgânicos (exceto ácido nítrico e crômico), e ácidos orgânicos como cítrico, maleico, acético e lático. São atacados pelos ácidos oxidantes já referidos principalmente a temperaturas e concentrações elevadas, bem como pelos álcalis fortes.

Térmicas:

De praxe, os laminados tecidos de algodão (celeron) podem ser usados ininterruptamente a 120ºC, com picos de 170 ºC. Todos os laminados tendem a sofrer a ação do calor acima de 100ºC, porém quando são presos a um suporte mineral ou metálico, resistem temperaturas mais altas.

Físicas:

É impossível para o laminado técnico acompanhar as tolerâncias de aço ou outro metal em uso nas indústrias, o coeficiente térmico de expansão é de 3 a 5 vezes mais alto que o do aço, os laminados industriais sofrem alterações dimensionais sob ação de umidade com menor ou maior intensidade. Devido à alta resiliência, é possível trabalhar com tolerâncias maiores, que seriam necessárias para um material mais rígido.

Elétricas:

Resistência dielétrica pode variar devido à configuração dos eletrodos, o meio e as condições em que o isolante é ensaiado.(as partes usinadas, cortadas, furadas são vulneráveis à ação da umidade, depois de usinar é conveniente secar e envernizar o local).


Solicite um orçamento

Whatsapp JM Farias Ltda. Whatsapp JM Farias Ltda.